segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Quando as Boas Vindas Não Condizem com a Realidade do Ambiente


O profeta era aclamado a cada grito rachado que dava. Fez tanta propaganda sobre o que Deus faria naquela noite que por algum motivo, Ele não fez. No final, rouco e com olhar agora singelo, o profeta pediu desculpas ao dirigente da reunião, alegando que não estava em um de seus melhores dias.


Você já se sentiu enganado por algum produto que adquiriu e que não era nada do que o comercial anunciava. Sim, não fiz uma pergunta. É uma afirmação mesmo.

Que sensação horrível. É como ver aquele BigMac na propaganda extremamente atrativo, e se deparar com um chulado sanduíche em miniatura. Algumas vezes a gente até tenta ver com outros olhos, relevando as nítidas desvantagens, mas no interior, onde as idéias se processam, sabemos quando algo não está como deveria.

Quando se trata do Evangelho, a coisa é bem mais complicada. Toda a descrição do produto está exposta no manual. Mesmo assim a maioria quase absoluta adere ao produto acreditando naquilo que os vendedores anunciam.

Sendo assim, pesa uma responsabilidade muito grande sobre todos os que anunciam, quanto à veracidade do que está escrito, coerência e a compatibilidade com o uso diário.

Pense duas vezes antes de oferecer algo parecido com um kit de mágica, na tentativa de atrair o maior número possível. Pense duas vezes antes de contar algo mais parecido com uma fábula moderna ao invés de desmistificar a realidade das Boas Novas na contemporaneidade. Não há porque ter receio de trazer “confusão” na cabeça das pessoas quando a única coisa que o conhecimento da verdade produz é libertação.

Se fazer de tolo para ganhar os tolos é diferente de apregoar uma mensagem tola.

Boa semana.

F.Sales


9 comentários:

  1. Muito bom, parabéns.
    Só discordo de uma coisa: hj nem de tolos eles se fazem, porém os tolos, se dizem espertos e saem propagando as visôes "enganosas".

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito de seus textos.

    Virei sempre lê-lo, o estou divulgando.

    Que o Senhor seja louvado.

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
  3. Mano, F. Sales,

    Agradeço sua vista no O Reino em nós (e por seguir).
    Estou te seguindo.

    Observei que seu texto traz maturidade ao verdadeiro evangelho e ás mazelas pregadas por prega-dores iludindo a muitos.

    Parabéns!!

    Abraços,

    Sandro
    http://oreinoemnos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Pelo que percebo, falta graça nessas pregações.

    Muitos desses pregadores de teologias de prosperidade querem na prática VENDER o sonho.

    Porém, se as bençãos de Deus decorrem da graça, não há trocas nesta relação, mas sim uma confiança e uma submissão do crente aos propósitos do Eterno. Isto é porque é Deus quem faz tudo em todos conforme lhe convém, não porque queremos receber isto ou aquilo.

    Creio que, debaixo de graça, estaremos nos curando de frustrações.

    ResponderExcluir
  5. F.Sales legal seu texto, mas cada um procura o que quer, a própria bíblia deixa isso claro quando diz que um cego guiando outro cego,ambos cairão no precipício!
    Não devemos esperar que pessoas que se dizem especiais, mandatários da Lei de Deus possam ser muito diferente de nós, se assim fosse, Deus não daria a todos NÓS o livre arbítrio.

    A bilbia na verdade é um código de conduta, um manual, cabe a você e ao seu "livre arbítrio" decidir, é claro que a responsabilidade também será sua!

    ResponderExcluir
  6. opa,

    passei por aqui!


    abração,
    fique na graça!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns!
    Boa temática a ser discorrida, mui interessante!

    ResponderExcluir